Carnaval de Veneza e suas máscaras

Para quem não conhece, o Carnaval de Veneza (Venezia Carnevale) surgiu com uma tradição do século XVI, onde os nobres da cidade saiam de suas casas disfarçados, para assim se misturarem com o povo. As máscaras se tornaram o elemento mais importante e de identidade do carnaval veneziano.

O evento tem duração de 10 dias, onde durante todas as noites as companhias, conhecidas como compagnie della calza, realizam desfiles nas ruas da cidade. Bailes também são realizados nos grandes e luxuosos salões de Veneza.

Quando Napoleão Bonaparte assinou o tratado de Campo Formio em 1797, fazendo com que Veneza se tornasse parte do Reino Lombardo-Véneto, a festa foi proibida e continuou assim após os austríacos tomarem conta da cidade.

As vestimentas que são utilizadas são características do século XVIII, caretas brancas com roupa de seda negra e chapéu de três pontas eram o padrão utilizado antes da abolição do carnaval. A tradição só volta oficialmente para o calendário veneziano em 1999. A partir daí a festa começa a incorporar variedades de cores em suas fantasias, excetuando as máscaras, chamadas de maschera nobile, que continuam, tradicionalmente, brancas, pretas ou douradas.